Sissa Schultz

Expressões

Textos

O POEMA DA GELADEIRA II

Ele já nasceu com nome
E não foi um qualquer
Que a ELISA LUCINDA me perdoe
Ter colocado o mesmo
Mas quando eu caprichava no brilho
(pois ela vai embora)
Lembrei do seu famoso "O POEMA DA GELADEIRA"
Tão bem falado pelo meu amigo poeta JOSÉ ABBADE - e sorri...

Aliás, foi o único momento em que isto ocorreu...
Sentimental como sou não poderia ser de outra forma
Afinal, foram trinta anos de convivência
Com aquela amiga branquinha...

Já guardou muitos sonhos
Embalou mamadeiras
Fizemos planos para o "champagne"
Namoramos vinhos para os brindes
Compartilhamos tristezas e alegrias
Como abrigo para alívio de conjuntivites.

Derramou muitas lágrimas
Todas as vezes que era descongelada
Fora o frio que sentia abaixo de zero
- Sabia do calor humano aqui de fora...

Como somos sentimentais, ELISA!!!

Imagine você que eu já a desliguei oito vezes
E o novo proprietário não aparece para buscá-la!

A sua ex era também de renome
Mas sem querer diminuí-la
A minha não é uma qualquer
É UMA BRASTEMP!!!
Sissa Schultz
Enviado por Sissa Schultz em 19/05/2011
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (RESPEITE OS DIREITOS AUTORAIS). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.


Comentários



Site do Escritor criado por Recanto das Letras